Histórico


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 MARCIO AMERICO
 Marcio Americo
 MEU SITE


 
 
Blog do Márcio Américo


COISAS QUE VOCE DEVERIA SABER SOBRE ADICÇÃO


Sou adicto, ou dependente químico, ou viciado, ou doente, não importa a denominação que você dê, a verdade é que desenvolvi uma doença complexa que me leva a consumir compulsivamente álcool, drogas ou qualquer coisas que ofereça a possibilidade de me abstrair temporariamente da realidade. Mas, muitas pessoas não tem ainda uma compreensão sobre esta doença, nem mesmo a ciência tem, para que você não pise na bola, não faça julgamentos precipitados e absurdos, aqui vão algumas informações úteis, afinal de contas, viciado, viado e artista, todo mundo conhece pelo menos um.

 

1- Adição é uma doença. Usar álcool e drogas é apenas um dos muitos sintomas desta doença.  Mentira, manipulação, ressentimento, apatia, egocentrismo, insanidade... também são manifestações desta doença. O doente precisa estar 24 hora por dia atento para brecar estas manifestações.

2- Adicção é uma doença, até este momento, incurável, portanto mesmo que eu esteja limpo, continuo sendo um adicto e posso manifestar um destes sintomas citados ai em cima.

3- O adicto não planeja o caos, através da doença ele planeja apenas consumir alcool e drogas, e, depois disto, a doença toma conta e a insanidade domina, por isto, TODOS adictos tem estórias escabrosas envolvendo: acidentes, prisão, assassinato, roubo, abandono, brigas, baixaria, violência...

4- Uma vez que o adicto entre na espiral álcool/drogas, somente ele poderá sair de lá através de uma tomada de consciência. Isto pode levar uma noite, uma semana, um mês ou anos. NINGUEM PODE FAZER ISTO POR ELE.

5- Somente o adicto tem o poder para brecar sua doença e mante-la estacionada. Nenhuma ação externa ajuda ou atrapalha a recuperação do adicto. Nenhuma ação externa ajuda ou atrapalha o adicto usar drogas. NINGUEM É CUMPLICE DO ADICTO, ele não precisa disto.

6- Ninguém conhece a dor do adicto, somente ele, portanto, procure não julgar o adicto por seu comportamento quando alcoolizado/drogado, este não corresponde a sua verdadeira personalidade, mas é a manifestação plena de uma doença terrível.

7- A maioria dos adictos são pessoas leais, generosas, inteligentes, criativas, são essencialmente humanistas, mas, quando estão sob efeito da doença, tornam-se o oposto disto.

8- Para o adicto uma dose é pouco e mil não bastam.

9- Vergonha, culpa e  medo são manifestações psicológicas próprias da doença, o que faz com que o adicto, depois de ingerir álcool/drogas, busque o isolamento. Tenho ouvido milhares de relatos de adictos que “hibernam” ou “internam-se” por dias, alguns por semanas.

10- Se você quer realmente ajudar um adicto, primeiro procure não julga-lo por seu comportamento sob efeito de álcool/drogas, depois, se ele manifestar desejo de mudar, encaminhe-o para um sala de Narcóticos Anônimos, ou, se for o caso, para uma internação. Um adicto em recuperação é um amigo pra toda vida.

11- Eu como adicto posso até pensar que um dia poderei beber ou me drogar socialmente, mas é auto-engano. A partir do momento que eu ingiro uma gota de álcool, a doença vai gradativamente tomando conta, começo primeiro bebendo escondido, depois vou assumindo publicamente, depois começo a justificar o porque bebo e uso drogas, em seguida as portas pro grande estrago estão abertas. A sequência é sempre esta, pra mim e pra todo adicto do mundo.

Sou adicto e tenho que viver um dia de cada vez, pra mim não existe NUNCA MAIS, existe apenas HOJE.

Hoje eu não vou beber.

Hoje eu não vou usar drogas.

Hoje eu não vou manipular, mentir, procrastinar...

Posso ficar limpo 10 anos, isto não quer dizer muita coisa, o importante é que eu fique limpo hoje.  Ontem já foi, amanha não existe, a parada é HOJE! Se eu ficar limpo hoje, posso ficar limpo a vida toda.

Eu estou limpo HOJE!



Escrito por Márcio Américo às 18h39
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Fim de semana bacana em Londrina. Na sexta feira fiz meu show solo no Ouro Verde que contou a presença do meu amigo Marcio Reiff, ele deu uma super canja. O show foi praticamente produzido pela minha mulher, Renata Bergamo, que é, mesmo que não sendo do meio, uma produtora das boas. Moveu todas as alavancas: imprensa, convites, contratou pessoas, organizou e abasteceu camarins...Parabens!

Meu filho Mateus (3 anos e meio) queria ficar no palco o tempo todo, mesmo explicando a impossibilidade disto, tive que chegar a um acordo, ofereci a ele a experiência do aplauso. ele topou e ao final do show subiu no palco e recebeu os prometidos aplausos. Fico me lembrando de alguns atores que comentam: pisiei no palco a primeira vez ainda criança....

No sábado encontrei meu brother Mario Bortolotto lá no Sebo Capricho, onde ele lançou seu livro de poemas Um Bom Lugar Para Morrer, que li durante o voo para sao paulo no domingo (depois escrevo sobre o livro), infelizmente nao fui ao show que a banda Saco de Ratos fez a noite na espaço Cemiterio de Automoveis, mas, pela cara do Fábio Brum pela manha (fomos pra sampa no mesmo voo) a coisa foi boa pra caramba.


Minha mulher Renata e meus filhos Gabriel e Mateus (com um pacote de batatas).

Durante a apresentação no Ouro Verde.

Meu filho Mateus recebendo os aplausos.

com meu amigo e parceiro Marcio Reiff.



Escrito por Márcio Américo às 08h56
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




[ ver mensagens anteriores ]